Esqueceu sua senha? Está inadimplente? Consulte nossa política de anistia

Dezembro Laranja: a importância de uma campanha contra o câncer de pele

O câncer de pele é o tipo mais comum no mundo. Em um país tropical como o Brasil, onde o sol e o calor predominam durante a maior parte do ano, o quadro não é diferente: foram mais de 5.500 mil casos de melanoma registrados pelo Inca em 2016. A nível mundial, os números são alarmantes. Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 132 mil casos do melanoma são registrados anualmente, com 55 mil óbitos. E a contagem tem aumentado cada vez mais.

Aqui no Brasil, o câncer de pele já é uma questão de saúde pública. Em dezembro, justamente o mês em que se inicia o verão, época do ano onde é registrado um aumento no número de casos de câncer de pele, a Sociedade Brasileira de Dermatologia trabalha a campanha do Dezembro Laranja, com o tema “Se exponha, mas não se queime”. O objetivo da campanha é alertar, informar e conscientizar a população sobre os riscos dos tumores cutâneos, principalmente o melanoma, que, embora menos frequente, é mais agressivo, tem maior poder de metástase e é responsável pela vasta maioria dos óbitos causados por tumores cutâneos.

Sintomas

O melanoma tem origem nos melanócitos, células que produzem a melanina, pigmento que dá cor à pele. A manifestação da doença se dá com o surgimento de uma pinta escura, de bordas irregulares, que também pode coçar ou descamar. Em casos de uma pinta ou sinal que já existia, ocorre o aumento do tamanho, alteração na cor e no tamanho da lesão, que passa a apresentar bordas irregulares.

Diagnóstico precoce

A exposição elevada aos raios ultravioleta é a principal causa do melanoma, e quem possui pele clara e/ou com muitas manchas está mais vulnerável à doença. O excesso de raios UV pode levar à mutação do DNA dos melanócitos. Se não for diagnosticado precocemente, o melanoma pode avançar para os nódulos linfáticos e outros órgãos do corpo, como fígado e cérebro. Por isso, quanto mais cedo for diagnosticado, maior a chance de recuperação.  Em  fase inicial, ele deve ser tratado com a cirurgia de remoção da lesão e, depois disso, com uma segunda cirurgia para remoção de das margens em volta da lesão para garantir que o tumor não volte naquele local. De todos os tratamentos, é considerado o mais simples e menos agressivo. Por isso, o diagnóstico precoce é tão importante: ele evita que o paciente tenha que se submeter a tratamentos mais intensos, como a quimioterapia, terapia alvo e/ou imunoterapia.

Tratamento

Como dito anteriormente, a cirurgia é o tratamento menos agressivo, indicado para melanomas diagnosticados precocemente. Dependendo do estágio, a radioterapia e a quimioterapia também podem ser utilizadas. No quadro de metástase, o controle da doença é muito mais difícil. Nesses casos, a estratégia é aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Prevenção

No caso do melanoma, a prevenção é, de fato, o melhor remédio. Através da regra do ABCDE é possível avaliar pintas e sinais suspeitos. É recomendável consultar um dermatologista ao menos uma vez por ano para fazer um mapeamento corporal generalizado e identificar possíveis riscos. Veja como utilizar a regra do ABCDE:

Juntos Contra o Melanoma

O Juntos Contra o Melanoma é uma ação movida pelo GBM que, além de conscientizar a população, promove ações específicas voltadas para nichos profissionais que podem exercer um papel muito importante na detecção precoce da doença, tais como cabeleireiros, podólogos e tatuadores. Conheça mais sobre a campanha acessando o site.

X