Esqueceu sua senha? Está inadimplente? Consulte nossa política de anistia

Pesquisa sobre imunoterapia contra o câncer vence o Nobel de Medicina

O Prêmio Nobel de Medicina ou Fisiologia de 2018 foi conquistado pelos cientistas James P. Allison e Tasuku Honjo. O americano e o japonês foram anunciados vencedores nesta segunda-feira (01), pelas descobertas relacionadas ao papel do sistema imunológicos na luta contra o câncer. Ambos dividirão o prêmio de R$ 4 milhões.

Os dois cientistas desenvolveram, separadamente, pesquisas sobre duas proteínas produzidas por tumores — a CTLA-4 e a PD-1 — que paralisam o sistema imune do paciente durante o tratamento de câncer. Nos estudos, descobriram um tipo de terapia que faz com que células de defesa do organismo voltem a atacar tumores.

O imunologista James P. Allison, de 70 anos, da Universidade do Texas, estudou a proteína CTLA-4. Ele descobriu que um bloqueio da proteína poderia retirar o freio sobre os linfócitos T, fazendo com que as células voltassem a atacar o tumor. Foi em 1994 que Allison realizou o primeiro experimento em ratos, totalmente curados após o tratamento. Já em 2010, um estudo clínico mostrou efeitos “impressionantes”, segundo a Academia do Nobel, em pacientes com melanoma avançado, que não haviam sido observados antes.

Já o imunologista Tasuku Honjo, 76, da Universidade de Kyoto, no Japão, estudou uma outra proteína, a PD-1, que também atuava sobre os linfócitos T, só que de forma diferente. Um estudo realizado em 2012 também demonstrou eficácia em tratar pacientes com diversos tipos de câncer.

De acordo com Academia sueca que entrega o prêmio, as pesquisas são um marco na luta contra o câncer e apresentam uma mudança de paradigma.

FONTE: G1 e Público

X