COVID-19, estética e os cuidados com a pele na pandemia

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Por Dr. Carlos Bastos

A pele é a nossa principal defesa contra as agressões do meio externo, que podem vir de resíduos da poluição do meio ambiente, mas, principalmente da radiação solar. E o impacto em nossa pele pode ser percebido já com pouco tempo de exposição, como ardor e queimaduras, mas também a longo prazo, como no surgimento de doenças com a diminuição da imunidade e até os temíveis cânceres de pele, que podem desfigurar uma pessoa e até mesmo levar à morte.

O uso diário de protetor solar é uma conduta importante na prevenção dessas doenças, mas deve ser associada a outras atitudes – como evitar horários de maior incidência de radiação solar, dar preferência aos locais com sombra, uso de chapéus, óculos de sol e roupas protetoras contra radiação UV. Alguns estudos mostram que sem a proteção solar adequada, podemos receber até mais de 50 vezes a dose diária (108 j/m²), recomentada pela OMS. Para termos uma boa proteção solar em nossa pele, precisamos seguir algumas recomendações, e a primeira é a escolha de um protetor solar de amplo espectro, que garanta ação contra as radiações UVB e UVA.

Em pesquisas feitas pela SBD, com dados da 21ª Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele, estima-se que mais da metade da população estudada (63,05%) se expõe ao sol sem qualquer tipo de proteção.

Além dos diferentes veículos (loção, mousse, fluido, bastão, base cremosa e pó compacto), que por aceitabilidade cosmética podem influir na escolha, o Fator de Proteção Solar (FPS) adequado e a quantidade a ser aplicada são dúvidas comuns.

A quantidade recomendada é de 2 mg/cm², porém as pessoas costumam usar algo entre 0,4 e 1,5 mg/cm2. O FPS é um método que avalia a eficácia dos filtros solares, correlacionando um resultado clínico (vermelhidão) da pele protegida com a desprotegida. Esta resposta está diretamente relacionada com o tipo de pele e depende da quantidade de radiação que pode variar com o local e o momento da exposição solar, e com a quantidade aplicada sobre a pele.

É importante esclarecer que a diferença de um fator 60 para 30 não é exatamente o dobro de eficácia, mas pode ser de uma absorção de cerca de 98% da radiação UVB para cerca de 96,7. Deste modo, podemos optar pelo FPS maior quando o nível local de radiação for alto e o tipo de pele mais suscetível aos danos da radiação solar.

Outras informações importantes na escolha do produto a ser usado são a resistência à água e/ou à transpiração, de acordo com a atividade laboral ou de lazer do consumidor.

Fontes:
Sunscreen lotions in the dermatological prescription:  review of concepts and controversies. F.A.Addor, C.B. Barcaui, E.E. Gomes et al. An Bras Derm 2022;97(2):204-222.

Overview of cutaneous photosensitivity: Photobiology, patient evaluation, and photoprotection. UpToDate Aug2022.

Leia também:

atlas

Nevos

Voltar ao Atlas 10 Padrões benignos mais comuns encontrados nos nevos melanocíticos: Reticular Reticular multifocal Reticular periférico e centro hipopigmentado Reticular periférico e centro hiperpigmentado Reticular periférico e glóbulos centrais

Leia mais »
atlas

Dermatoscopia básica

Voltar ao Atlas Princípios O exame clínico das lesões cutâneas a “olho nu”, fornece importantes informações dos achados morfológicos, como o tipo, tamanho, bordas, contornos e superfície, porém somente até

Leia mais »